sexta-feira, 22 de junho de 2012

Chuva cor-de-rosa

made by Vivian Kida at 16:03 8 mixes



“O que será que estão pensando?”

Diversas vezes me perguntei isso enquanto observava pessoas na rua, principalmente quando estou parada dentro do ônibus. Aquela mulher dentro do carro no farol, será que já se questionou o que a pessoa do carro ao lado está pensando? Ou quem sabe, eu sou o “alvo” dela! A curiosidade aumenta mais quando deparo-me com alguém passando chorando.

É uma manhã de domingo. Já faz um tempo que estou sentada na mureta dessa praça, só observando o movimento. O dia está agradável, ainda mais pela beleza do inverno. Engraçado...é domingo e as pessoas continuam correndo como se fosse segunda-feira.

Sempre acho que os fins de semana dão outra cara para os lugares, mesmo esses que passamos todo dia à caminho do serviço. Ganhamos oportunidade de olhá-los com mais atenção, vivê-los melhor, explorá-los! Até mesmo esse cheiro de óleo dos carrinhos de batatas-frita ficam com um ar diferente do de anteontem. Pra que continuar correndo?

O vento parece ter ouvido meus pensamentos. Parando de cortejar a grandiosa árvore fixada atrás de mim, soprou-lhe uma rajada mais forte, balançando  graciosamente seus galhos floridos. Uma nuvem de pétalas-cor-de-rosa espalharam-se pelo local, caindo sobre todos como gotículas de chuva. Nesse momento, o mundo parou. Por alguns segundos, todos voltaram-se para aquele espetáculo, assistindo as flores dançarem ao uivo do vento gelado.

Diverti-me captando aqueles olhares fascinados, singelos sorridos escapando involuntariamente daqueles lábios entreabertos. Assim que a dança ia se cessando, gradualmente as pessoas iam se recompondo, voltando ao caminho que até então estavam seguindo. Por mais que tenha sido rápido, sei que foi com efeito! Essa belíssima visão não acontece toda hora, e encanta mais ainda quando vem de alguém que nem sabíamos que existia.

Naquele momento, ganhei meu dia. 

~ VK ~

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Um mundo mágico. pt 2

made by 「 ★ 」 Muny at 19:02 2 mixes
Olá pessoas.

Sinto pela demora, mas agora estou aliviada com meus trabalhos da faculdade. hehehe!
Então, voltaremos ao que interessa... Disney \o/

Hoje, irei falar sobre o segundo parque que visitei. Espero que gostem.


Waltdisney - Animal Kingdom


Para aqueles que gostam de animais, e das animações relacionadas a eles, este é o lugar. O Animal Kingdom é um parque onde você pode ter mais um dia de relaxamento, porque ele não tem muitos brinquedos "radicais".

Então, vamos começar pelo tour.

As atrações são bem tranquilas, e as que mais me chamaram a atenção, foram: It's Tough to be a Bug!, um cinema 3D relacionado ao filme "Vida de Inseto, muito divertido e animado, entrete todas as idades; Festival of the Lion King, um espetáculo relacionado ao filme "Rei Leão", cheio de acrobacias e bem interativo, pode ser assistido por pessoas de todas as idades também e Kilimanjaro Safaris Expedition, um safari feito dentro do parque, para que você possa contemplar a beleza da natureza nos animais selvagens, como: leões, javalis, girafas, elefantes, antilopes, dentre muitos outros. *-*

Para aqueles que querem saber mais sobre essas atrações, aqui vai o link de cada uma respectivamente:

It's Tough to be a Bug!

Festival of the Lion King

Kilimanjaro Safaris Expedition

Outra atração que realmente fiquei com muita, mas muita vontade de ir, e que todos falam muito bem, é a EVEREST, uma montanha russa que tem no parque que simula o monte Everest, e dentro dela existe um pé grande... OMG. Um pé grande! O_O'
Sim, eu não pude ir porque a fila estava imensa, infelizmente. O período mínimo de espera era de 3 horas para poder andar... ç-ç'


Expedition Everest

Este é um dos pontos ruins das atrações da Disney, esses brinquedos mais legais tem filas imensas, e se você não tem um live pass, que é um passe que te permite entrar na atração instantaneamente, você tem que ficar horas e horas para poder se divertir. Por isso atrações mais tranquilas, como o safari por exemplo, são mais fáceis de entrar, pois é uma quantidade grande de pessoas que entram por vez, assim você não se cansa de esperar e ainda pode desfrutar do parque.

Bom, agora vamos falar sobre as paradas.
Neste parque tem a "Jungle Parade"... É bem divertida, e nela você encontrará vários personagens como o Baloo, Timão, Tico e Teco, além dos personagens principais da disney, Mickey e sua turma.
Agrada a todos, porém como todas as paradas a uma delimitação de espaço que você deve respeitar... Sim. Não ultrapsse a linha amarela, e escolha um lugar bom para assistir, por isso chegue com antecedencia.


Finalmente, a comida!
Eles tem uma coxa de peru, muito boa. Lá chama-se "Turkey Leg", muito grande, e muito DI-VI-NA!
As outras comidas são lanches e afins, não foje muito do contexto dos outros parques. Caras e tudo mais.


De modo geral, o Animal Kingdom é um parque muito agradável, com ambiente bem natural. Existe espaço próprio para as crianças se divertirem também, com brinquedos mais leves, assim como também possuem os pontos de encontro com vários personagens, como os outros parques. Este possui um balanço bem legal, é bem divertido e "livre", se assim pode-se dizer.

Se quiserem conhecer mais o parque, aqui segue o link.

http://disneyworld.disney.go.com/parks/animal-kingdom/

Bon Voyage!!

Ivy

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Espelho de Mulher

made by Vivian Kida at 14:01 6 mixes





Delicados vasinhos carregando flores violetas enfeitavam o criado-mudo daquele quarto. Suas pétalas brilhantes harmonizavam-se com o papel creme das paredes. Suaves, tranquilizantes, traziam paz para aquele cômodo. Próximo a janela ficava a penteadeira. Um grande espelho com molduras bem trabalhadas estendia-se no centro daquela mobília. Duas gavetas cheias de utensílios femininos a completava.

Julinha adentrou em seu quarto e pôs-se sentada perante aquela tela refletora. Observou, curiosa, para aquela superfície mágica que desenhava sua pessoa com precisão. Pousou a mão de leve sobre a face, reparando para cada detalhe de sua pele. Às vezes torcia o canto da boca de desgosto, outras erguia as sobrancelhas surpreendida. Sentia-se um tanto apagadinha, o que a desagradava.


Sem demoras, tirou da gaveta um estojo de maquiagens. Sem exageros, pintou-lhe os lábios de carmim e ressaltou o olhar com um pouco de lápis. Disfarçou imperfeições com um pouco de corretivo e tratou de colocar o melhor sorriso que possuía. Ajeitou os cabelos com as mãos mesmo, já que estes não se encontravam tão judiados. Mais uma vez, parou para se fitar. Ah! Que bela donzela fitava para ela!

Por alguns minutos contemplou aquela bela moça que via pelo espelho. Brincava consigo mesmo, fazia poses, caretas, franzia o nariz, arregalava os olhos, escancarava os dentes...se divertia. Várias vezes pegava-se rindo sozinha, apenas por aquela pequena diversão boba, mas que enchia seu coração de bem-estar. Sentia-se tão viva!

Em alguns momentos passou a buscar por ângulos que valorizassem melhor sua fisionomia. Lançava olhares sérios, arqueava uma sobrancelha, fazia-se de mistério, tentava um charmezinho, e mais uma vez ria, e ria feito menina. Erguia a cabeça com orgulho  e observava aquele reflexo que expressava extrema confiança: estava poderosa!


 À passos calmos, foi até o gaveteiro e tirou uma máquina fotográfica. Cuidou que ninguém a observava. Com gestos lentos e bem calculados, clicou sua própria imagem no espelho, como faziam algumas meninas que frequentavam sua casa. Após tal atitude, caiu sentada na cama rindo de si mesma.

“Mas que diabos estou fazendo?”

Tratou logo de excluir a foto, tendo um pouco de dificuldade de mexer naqueles botões.

- Dona Julinha?

- Hum? Pois não?

- Eles já chegaram. Estão aguardando-a na cozinha.

- Ah, muito obrigada! Já irei descer!

Assim que sua amiga saiu do quarto, levantou-se da cama. Sentia o corpo um pouco cansado, mas saber que visitas a aguardavam a revigorava.

Antes de ir, fitou-se pela última vez no espelho. Ainda estava impecável, com um caloroso brilho jovial partindo de sua alma. Do espelho, aquela moça divertida a observava com um sorriso nos lábios e um olhar de cumplicidade. Julinha deu uma leve risada, retribuindo o olhar, guardando aqueles agradáveis momentos para si e para a imagem.

“Shiu! É nosso segredo!” – pensou consigo mesmo, pousando um dedo sobre os lábios.

Em seguida, sorridente e feliz, deixou o reflexo no quarto e partiu para a cozinha, onde seus netos a aguardavam.

~ VK ~

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Atraso de post...

made by 「 ★ 」 Muny at 22:44 0 mixes
Olá pessoas!

Bom, primeiramente, gostaría de me desculpar pela demora na postagem.
Acontece que eu estou na semana de entrega de trabalhos da faculdade e na elaboração do meu TCC, ou seja, estou numa correria muito enorme!

Por este motivo, venho dizer-lhes que meu próximo post será feito somente na semana que vem (a partir de domingo).

Obrigada pela compreensão!!

Jaa ne.

Ivy

terça-feira, 22 de maio de 2012

Nacionalismo de gaiato

made by Vivian Kida at 12:18 4 mixes


Fernando de Noronha

Não é necessário muito esforço para notarmos que no Brasil há uma carência enorme de sentimento nacionalista, ao contrário de outros países. Muitos fatores faz com que desenvolvemos cada vez mais uma vergonha do lugar onde nascemos e vivemos, principalmente por questões políticas. Gradualmente, vamos fortalecendo a barreira que nos separa de tudo o que nosso país tem a oferecer, mesmo sendo bom. Por força do hábito, acabamos negando inclusive os pontos positivos dignos de beleza e admiração, fortalecendo a mentalidade de que “o que é de fora é sempre melhor”.
O estrangeirismo está presente desde que éramos uma colônia, baseava-nos (e ainda nos baseamos) nos costumes e culturas do exterior, sem parar para pensar se é coerente para a região onde vivemos. Um exemplo é a adoção da moda europeia, trajes belos e elegantes com tecidos e cortes perfeitos para o clima temperado daquele continente, mas nada a ver com o tropical brasileiro. É um tanto ridículo imaginarmos uma mulher da classe alta vestindo aqueles pomposos vestidos europeus, mas no meio do Nordeste. Aja água e desodorante! Nosso país exige tecidos e roupas mais leves e frescas, porém, poucos param para pensar sobre isso. 
Amazonas
 Além disso, também notamos a influência estrangeira nos nomes: aquele monte de “L”, “Y”, “T” desnecessários que muitos cismam em por no filho, achando mais “chique” por parecer americano, que muitas vezes soam ridículos e deixam escrachado como a pessoa não tem conhecimentos em outras línguas (ex.: Leide, Madeusa, Washington, Karollynna, Gabryella...) . Aí, quando se depara com um nome de origem externa “aportuguesada”, considera a palavra muito “sem classe”: Dêividi em vez de David, Valter em vez de Walter, Estela em vez de Stella, Estéfani em vez de Stephanie..e por aí vai, fora quando há a crença de que, se você misturar em suas falas palavras e expressões portuguesas com inglesas, pode se considerar uma pessoa muito mais evoluída. Convenhamos, preconceito de nossa parte.
Ibirapuera
Lá fora, somos vistos como a terra do “Carnaval, Samba e Futebol”, entretanto, sabemos que há muuito além disso por aqui. Gostaria de analisar esse ponto baseado nas literaturas brasileiras (falando nela, quem que as curte?), que nos mostram bastante esse lado da moeda. Em muitos livros, podemos notar um cenário típico do Brasil, seja mais naturalista como urbano. Particularmente, admiro muitos esses textos mais antigos porque eles expõe a sociedade brasileira apontando como realmente são, fora as críticas que se faz sobre elas. Muitos desses autores procuram buscar a identidade nacional que foi perdida. Agarramos demais o que é de fora e esquecemos de olhar para nós mesmos.  
Não, não quero que vocês terminem de ler e saiam do blog idolatrando nossa Pátria! Apenas que reflitam um pouco sobre e procurem derrubar um pouco esse muro que somos induzidos a construir. Não é nada vergonhoso admirarmos elementos que partem daqui mesmo. Pena que nem em todas as áreas ela se faz direito, ou nem há incentivo. Porém, o pouco que há dá para darmos uma analisada melhor. 
Chapada da Diamantina
De todos os países, somos donos das paisagens mais bonitas (as praias nordestinas dão de 10 a 0 para muitas outras), da biodiversidade mais ampla, de pessoas mais alegres (e até mesmo altruísta, surpreendentemente) e de pensamentos mais práticos: o característico “jeitinho brasileiro”. Mais uma vez, aconselho (mas de uma forma mais direta): parem de focar apenas nas coisas ruins e mudem seus olhares para as coisas mais agradáveis. Elas não precisam ser extremamente complexas e dotadas da máxima tecnologia para serem boas, trabalhem a simplicidade (que perdemos ao decorrer da vida). O Brasil pode até estar uma droga, mas e nós, que fazemos parte dele? E você? Além de ficar apontando o dedo criticando e resmungando, o que fazemos em relação à isso?
Procurem conhecer mais o que nosso País tem de bom e saia dessa amarra que os gigantes de fora nos impõe, ainda mais porque, tirando a política e os políticos, aqui não é um lugar ruim, temos um potencial enorme para crescer, falta apenas líderes compromissados para isso.
~ VK ~


 

. Devaneios . Copyright 2012 Açucar com Sal Designed by Ipiet Templates arranged by Ivy